Porta-voz do PAN/Madeira considera renunciar ao cargo

O porta-voz do PAN/Madeira ameaçou demitir-se caso a porta-voz nacional, Inês Sousa Real, não reconheça a ilegalidade do acordo de incidência parlamentar assinado com a coligação PSD/CDS-PP, que venceu as eleições regionais sem maioria absoluta. Joaquim Sousa afirmou que tomará uma medida séria e definitiva em relação à sua participação no PAN se a ilegalidade não for reconhecida. Ele admitiu que a demissão está em cima da mesa, argumentando que as pessoas que respeitam a lei não podem compactuar com situações deste tipo. O acordo de incidência parlamentar celebrado com a coligação Somos Madeira é considerado ilegal pelo porta-voz do PAN, enquanto a deputada eleita pelo partido, Mónica Freitas, assegurou que tem “toda a legitimidade”. Joaquim Sousa argumentou que o documento teria que ser sufragado primeiro pela Comissão Política Nacional do partido e defendeu que, sendo o porta-voz do partido na região, devia ter participado da reunião com o representante da República para a Madeira. Mónica Freitas rejeitou as acusações de usurpação de funções feitas por Joaquim Sousa e afirmou que o acordo tem “toda a legitimidade”.

Fonte