Leiria: Noites de outubro na Urgência sem serviços de cardiologia e cirurgia

A Federação Nacional dos Médicos (FNAM) anunciou que os clínicos do hospital de Leiria, especialmente das áreas de cirurgia, cardiologia e pediatria, vão exercer o direito legal de recusar ultrapassar as 150 horas de trabalho suplementar. A representante da FNAM e cirurgiã no Hospital de Santo André, em Leiria, Sandra Hilário, afirmou que entre 90 a 95% dos médicos vão exercer esse direito. Segundo ela, na especialidade de medicina interna também já foram entregues várias minutas. Sandra Hilário alertou para possíveis constrangimentos na área da cirurgia, principalmente aos fins de semana, sem cirurgiões de urgência disponíveis. Ela também mencionou preocupações na cardiologia e na pediatria, onde as escalas estão a ser realizadas, mas não de acordo com as recomendações da Ordem dos Médicos. Além disso, a urgência de obstetrícia está a enfrentar falta de vagas de internamento e de pessoal. A FNAM está a fazer uma campanha pelo país para esclarecer os médicos sobre o direito de recusa das horas suplementares e sobre a dedicação plena. Sandra Hilário destacou a importância de os médicos estarem descansados para poderem tratar os doentes adequadamente e afirmou que o SNS precisa de ajuda da comunidade para ser salvo.

Fonte