Euro segue acima de 1,11 dólares, o nível mais alto desde março de 2022

O euro subiu hoje e ultrapassou 1,11 dólares, alcançando o valor mais alto desde finais de março de 2022, após a publicação de dados da inflação nos Estados Unidos, que desacelerou em junho.

O euro subiu hoje e ultrapassou 1,11 dólares, alcançando o valor mais alto desde finais de março de 2022, após a publicação de dados da inflação nos Estados Unidos, que desacelerou em junho.


Às 17:50 (hora de Lisboa), o euro negociava a 1,1132 dólares, quando na terça-feira quase à mesma hora seguia a 1,1006 dólares.


Desde 30 de março de 2020, quando atingiu 1,1157 dólares, que o euro não registava um valor tão alto.


O Departamento do Trabalho indicou hoje que a taxa de inflação homóloga desacelerou de 4% para 3% em junho, seguindo a baixar há 12 meses consecutivos, desde que em junho de 2022 atingiu 9,1%, o nível mais alto em 40 anos.


Este abrandamento renova a expectativa de que a Reserva Federal norte-americana (Fed) possa encerrar em breve o ciclo de subida das taxas de juro, que iniciou em março de 2022 para travar a inflação.


Se, como especulam os investidores face a este abrandamento da inflação, a Fed só subir as taxas de juro uma vez este ano, isso limita a atratividade dos investimentos em dólares a favor do euro, porque o Banco Central Europeu (BCE) ainda não acabou o seu ciclo de subidas.


A libra esterlina também atingiu 1,30 dólares, o nível mais alto face à moeda norte-americana desde abril de 2022.