Desperdício de 54,5 milhões de euros no processo de vacinação Covid pode ser um problema em Portugal

Uma auditoria do Tribunal de Contas (TdC) revelou que, até março de 2022, foram desperdiçadas 119.800 doses de vacinas contra a Covid-19 em Portugal, o que representa uma taxa de desperdício de 0,5%. No entanto, entre abril e dezembro de 2022, foram inutilizadas mais 3,4 milhões de doses (99,7%) devido ao prazo de validade ter sido ultrapassado. No total, estima-se que o desperdício de vacinas tenha causado perdas potenciais de aproximadamente 54,5 milhões de euros. A auditoria concluiu que Portugal recebeu uma quantidade de doses superior ao necessário devido a uma estratégia de aquisição antecipada e em larga escala, mas o desperdício foi minimizado através de empréstimos, revendas e doações. A despesa autorizada e realizada para o programa de vacinação foi suficiente e a maioria dos custos foram destinados à aquisição de vacinas. O custo médio de administração de cada vacina foi de 15,19 euros e o de aquisição de cada dose foi de 11,14 euros. A auditoria destacou a eficácia do programa de vacinação, que superou as metas traçadas e teve taxas de vacinação superiores à média europeia. No entanto, apontou algumas falhas, como a diminuição da atividade assistencial das administrações regionais de saúde devido à cedência de profissionais de saúde para os centros de vacinação. Recomenda-se a elaboração de um plano de vacinação em massa para futuras emergências de saúde pública, assim como a modernização do sistema informático do Serviço Nacional de Saúde.

Fonte