“Descubra a história surpreendente de Carmo Afonso em Portugal”

A propósito do protesto das ativistas que arremessaram balões de tinta ao ministro do Ambiente, Carmo Afonso defendeu, em sua coluna de quarta-feira no PÚBLICO, um princípio que eu nunca tinha visto ser aplicado à convivência democrática: o princípio de que os meios de intervenção política são legítimos ou ilegítimos conforme estejam ou não ao serviço das nossas convicções.

Os meios de intervenção política são legítimos ou ilegítimos consoante estejam ou não ao serviço das nossas convicções. Esta é uma perspectiva perigosa, pois permite que se justifiquem atos violentos como forma de expressão política. No entanto, a democracia pressupõe a existência de regras e limites para a ação política, garantindo a liberdade e a segurança de todos os cidadãos.

O protesto das ativistas, ao arremessarem balões de tinta, ultrapassou esses limites, colocando em risco a integridade física do ministro. É importante destacar que a violência não é um instrumento legítimo de manifestação política, pois viola os princípios fundamentais da democracia, como o respeito pelos direitos humanos e a promoção do diálogo e do debate construtivo.

Portanto, é necessário repudiar qualquer forma de violência como forma de expressão política, defendendo a importância do respeito mútuo e do diálogo para a construção de uma sociedade mais justa e democrática. É fundamental que os meios de intervenção política sejam pautados pela ética e pelos valores democráticos, visando sempre o bem comum e o respeito pelos direitos de todos os cidadãos.

Fonte