Catedral de Washington renova vitrais com foco na “justiça racial”: “Contamos uma história mais inclusiva”

A Catedral de Washington decidiu substituir os vitrais que representavam os generais da Confederação, Robert E. Lee e Thomas Jackson, por novas janelas que retratam a luta contra as desigualdades raciais nos Estados Unidos. As novas janelas, intituladas “Agora e Sempre” e desenhadas pelo artista Kerry James Marshall, mostram manifestantes em protesto pela justiça racial. Segundo a Catedral, as figuras representadas nas janelas são anônimas e a cena não foi inspirada em nenhum evento histórico específico.

A decisão de substituir os vitrais antigos surgiu após episódios que destacaram a supremacia branca nos Estados Unidos. A catedral sentiu a necessidade de oferecer uma expressão mais inclusiva da história do país e acredita que há uma diferença entre lembrar a história e celebrá-la, especialmente em locais sagrados. A instituição religiosa acredita que os monumentos devem refletir os valores que subscreve.

Os vitrais antigos não foram destruídos, mas sim emprestados ao Museu Nacional da História Afro-americana, em Washington, para uma exibição temporária. A Catedral valoriza uma história inclusiva sobre os Estados Unidos, onde todos possam se ver refletidos na arte e na iconografia.

Com essa mudança, a Catedral de Washington pretende contar uma história norte-americana mais ampla e inclusiva. As novas janelas representam a luta atual pela justiça e equidade, utilizando a cena familiar da marcha por direitos civis. A instituição acredita que os monumentos podem se tornar um impedimento para a oração e, por isso, decidiu substituir os vitrais antigos.

Fonte